Congregação das Irmãs de São João Batista

Província Brasileira

 

 

As Irmãs Batistinas No Brasil


 

História

 

A Superiora Geral Madre Benedetta Saulo, italiana, ao ser eleita Superiora geral em julho de 1937, propusera trabalhar a fim de expandir a Congregação a outros países e para isto, incentivada por algumas Irmãs com ideal missionário, particularmente por Irmã Felícia D’Amato, escreveu a vários Bispos da América do Sul, na Venezuela e Brasil e disse: O primeiro Bispo que responder vai ter as Irmãs Batistinas em sua diocese. Dom Antônio dos Santos Cabral, Arcebispo de Belo Horizonte foi o primeiro, aceitando com muita satisfação a oferta. Isto porque, Pe. José Medeiros Leite, Vigário da Paróquia São Bento de Itapecerica e Provedor da Santa Casa de Misericórdia, desde muito tempo estava procurando Irmãs para a Santa Casa e encaminhou a Dom Antônio o seu pedido. Dom Antônio já havia recebido a carta de Madre Benedetta oferecendo Irmãs missionárias e respondeu imediatamente solicitando as Irmãs Batistinas para a Santa Casa. Madre Benedetta ficou radiante com a acolhida e como se tratava de hospital ela escolheu Irmãs para a missão hospitalar, são as seguintes:

Cinco pioneiras e corajosas Irmãs Batistinas: Irmã Felice D’Amato, a primeira responsável, Irmã Agostina D’Amico, Irmã Ludovica Pancotto, Irmã Eufrosina Ciofani e Irmã Scolástica La Fratta, que estavam felizes e dispostas para assumir esta nova missão.

Depois de uma longa espera em Gênova, Itália, porque o governo, no momento da partida do Navio Augustus, o requisitou para operações de guerra. Finalmente as Irmãs partiram do Porto de Gênova, no dia 16 de setembro de 1939, ano centenário do nascimento do Fundador hoje, Santo Afonso Maria Fusco, para a meta desejada. No outro dia chegaram a Barcelona, Espanha, e, ali viram os sinais de destruição causada pela guerra. No dia 29 de setembro desembarcaram no Porto do Rio de Janeiro, sob o lindo sol carioca. Uma religiosa Dominicana, enviada pelo Arcebispo de Belo Horizonte-MG, Dom Antonio dos Santos Cabral, estava no porto para receber as Irmãs Batistinas.

Três dias depois depois as Irmãs chegaram em Belo Horizonte, no trem Maria Fumaça. A viagem durou 12 horas. Em Belo Horizonte, duas Irmãs da Congregação de Nossa Senhora do Monte Calvário esperavam pelas Irmãs Batistinas e, as conduziram ao Orfanato Santo Antonio, dirigido pelas Irmãs Franciscanas. Visitaram o Sr. Arcebispo Dom Antônio que as havia convidado. Ele as recebeu paternalmente, as abençoou e formulando os mais calorosos votos pela nova fundação em terra brasileira.

Sob as bênçãos de Deus, no dia 05 de outubro, cheias de esperanças para o futuro, as pioneiras partiram para Itapecerica, sendo recebidas na Estação Ferroviária por uma comissão do povo da cidade, tendo à frente o Revdo. Padre José Medeiros Leite, digníssimo Vigário da Paróquia, uma multidão de pessoas, aquele bom povo brasileiro, tão cordial, pacífico e hospitaleiro. Todos diziam: Bem vindas! Bem vindas ao Brasil! Bem vindas a Itapecerica! A Banda de Musical do tiro de guerra tocou o Hino Nacional. A multidão as acompanhou até à sua residência, Santa Casa, acompanhadas pela Banda de Música, pois a Ferroviária é perto da Santa Casa.

No dia 06 de outubro, as Batistinas assumiram a direção da Santa Casa de Misericórdia, onde se achavam internados uns cinqüenta doentes pobres; homens, mulheres e crianças, um verdadeiro campo de missão!... Como verdadeiras missionárias, iniciaram a missão com ânimo generoso, sob as bênçãos do Sagrado Coração de Jesus.

É Irmã Scolástica La Fratta, a última das pioneiras que relata com emoção, entusiasmo, gratidão e saudade, em seu Livro: Relembrando nosso nascer na terra de Santa Cruz. É uma linda história da fundação. Vale a pena ler. Ela faleceu aos 95 anos em Belo Horizonte, no dia 19-06-2012, mas foi sepultada no Jazigo da Congregação em Itapecerica, a pedido dela que dizia: “Quero ser sepultada em Itapecerica, porque lá todo mundo me conhece”.

As pioneiras foram um exemplo de coragem e perseverança diante dos desafios, sempre com muita fé e confiança na providência amorosa de Deus.

Aos poucos, com muito empenho, as Irmãs foram se integrando à realidade, aprendendo o novo idioma, a cultura e cativando o coração do povo brasileiro.

 

 

Atualmente, no Brasil, há cerca de 60 Irmãs, espalhadas em seis estados brasileiros: Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Brasília-DF, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná. Em todos os espaços concretizam o ideal de seu Fundador, Santo Afonso Maria Fusco, “educando, promovendo e evangelizando” crianças e adolescentes, tendo os olhos fixos em Jesus de Nazaré.

 

 

 Voltar


 

Organograma

em construção

 Voltar

 


 

Quantas Somos

em construção

 Voltar

 


 

Irmãs Falecidas

em construção

 Voltar

 


 

Nossas Casas

em construção

 Voltar